As três formas de aquecimento de piscina mais usadas são o sistema solar, a gás e de bombas de troca de calor (que funcionam com energia elétrica). Esses sistemas são bem parecidos em seu esquema hidráulico, em que uma bomba leva a água da piscina até o elemento aquecedor, de onde retorna aquecida. Também são semelhantes no funcionamento do controle de temperatura – onde, basicamente, a temperatura da água na piscina é medida por sensores que fazem o sistema ser acionado ou desligado, mantendo o aquecimento no nível desejado. “A grande diferença está na fonte de energia que cada sistema necessita”

A temperatura ideal da água para prática de esportes costuma ser entre 26oC e 27oC; para lazer, de 29oC a 30oC; e para spas e fins medicinais, pode chegar a 32oC. No aquecimento, entretanto, a água é elevada a temperaturas mais altas do que isso – de 40oC a 45oC – porque depois ela irá se misturar ao grande volume de água da piscina, que se encontra a temperaturas mais baixas.

A potência necessária para o aquecimento da água pode variar, por exemplo, conforme a região do Brasil onde a piscina está instalada, se ela está em ambiente interno ou externo, se a piscina está “enterrada” ou em local com laje. Também é importante saber a área da superfície da água, que é a via pela qual se dá a maior parte da perda de temperatura.

Aquecedor solar: os coletores típicos são formados por mangueiras que passam por placas que ficam expostas ao sol. As placas podem ser feitas com polipropileno ou borracha de EPDM (na cor escura, para absorver melhor os raios do sol), ou com tubos de vidros especiais.

Funcionamento e características do sistema: a água é bombeada para dentro dos coletores, que transmitem o calor captado do sol, aquecendo-a. Os coletores solares são geralmente instalados em telhados e lajes, mas podem ser instalados no próprio chão, com inclinação e direção que busquem a melhor exposição ao sol. Geralmente o desempenho do sistema está ligado à condição de tempo ensolarado. Por isso, costuma-se empregar um sistema auxiliar, como bombas de troca de calor ou aquecedores a gás.

Como escolher: a quantidade e tamanho dos coletores são selecionados de acordo com a área de superfície da piscina. No País, conforme a região, entre outros fatores e orientações do projeto, esse dimensionamento varia de 50% a 120% da área da piscina para a área coletora.

         Aquecedor a Gás: Sistema que utiliza a queima do gaz para aquecimento de um mecanismo de troca de calor com a agua. O aquecedor tem um queimador abastecido com gás. A agua circula por tubos de cobre que passam sobre as chamas, esquenta e retorna a piscina. Há equipamentos movidos a gás natural e GLP. Essa tecnologia é mais viagem para piscinas de pequeno porte, ou somente como apoio para um sistema solar.

          Trocador de calor: O equipamento estruturado em um gabinete, absorve e transfere o calor retido no ar externo para a agua da piscina. O trocador funciona basicamente como um aparelho de ar condicionado invertido. Ele remove o calor externo e o intensifica com um compressor, o calor então é transferido para uma serpentina por onde a agua passa e é aquecida. É projetado para ser instalado ao ar livre. A capacidade do equipamento é escolhida de acordo com o dimensionamento da piscina. 

Aquecimento-solar